Página:Espumas fluctuantes (corr. e augm.).djvu/234

226
ESPUMAS FLUCTUANTES


( Ouve-te um relógio dar horat)

Já! tão tarde! E embalde tento
Abrir-te os dedos fechados...
Como frios cadeados,
Que o teu amor me lançou.
Porém 86 aqui me captivas,
Minh′alma foge-te asinha...
Nuncavb′Li′sa andorinha,
Que alegre o fio quebrou!...

(Debruça-êe a etorevern′uma carteira)

— Paulo! Vera á meia noite...
Mário morre! Mário expira!
Vem que miniralma delira
E embalde captiva estou.. —

Mário (que tem lido por cima de seu hombro)

Sylvia! a morte abre-me os dedos,
És livre, Sylvia... caminha!

(morrendo)

Minh′alma ó como a andorinha,
Que alegre o fio quebrou.

ISTO.