Página:Fantina- (scenas da escravidão).pdf/142

138

FANTINA

desesperançada, soube da prizão do afilhado e disse a Frederico que desse as providencias para livra-lo da impulação do crime. Como cada vez ella peorava, a energia moral foi se enfraquecendo.

Na hora das supremas agonias, quando o coração de Fantina golfava sangue, ferido pela desventura, Frederico apparecia-lhe offerecendo balsamo : mas um momento ella parava, voltava a si e tinha asco da surdida troca que o senhor queria.Era Mephisthofeles rindo-se juncto do cadaver de Fausto. Fantina no seu desespero lacoontico, preferia morrer que trahir a Daniel.

— Prefiro a morte com elle preso no fundo da cadeia ; e cahia sem forças sobre a cama onde Pedro, o paigem, dava noticias de Daniel.

A velha Roza seguia estas peripecias como uma sombra, procurava o momento de descarregar o ultimo e certeiro golpe.

— Não desespere, menina; sinhô já serviu a você da outra vez. agora também pedindo elle serve.

Fantina achava isto infame. A humilhação cortava-lhe a alma como uma navalha afiada ; mas a velha Roza trazia-lhe á memória cousas tristes. Fallava da vida horroroza que Daniel ia ter ; que se ella não o salvaste poderia morrer no fundo da cadeia de OuroPreto, terror da imaginação popular.