Página:Leal consselheiro.djvu/139


1?'8 o LgAL CONSSELH?Ct'RO. nhece? p0r seerera obradores de maidaries Ediz rnaie, �queos uerdadeiros oracleres, nora hirom buscar ihrl?p, nero outre monte, roes em sprite e uerdade erarein ao padre. 'Ca el taaes quer queo adorere. Eassy p9r eatas ra*offes se mostra como anosso senher rtom praz que penhames em estas cousas. speciaaes nossa pryn- cipal speran?a, roes em el c? leixamento detodos p.e- cados mortaaes,'e seguymento geera] d.etodas uirtu-. des. Ca per obriga?om em tedos eatados ssomos theu- dos denos 'goardar ou cot?prir oque geerahnente nos he mandado Per myngua da s])eran?a errore ? geeral quando da salua?om das aimas nada se nembrom; ott ajnda que 16bre, per myngua de fie, cousa de!1o nora cur*,1, ou per se auerem per tam maaos que. nora ape- ram que nosso senher os possa, nero quesra saluar, ou mudar de sua f'a!licida maneira deuyuer E�azem to em special per huff erro deque poucos scapom Ea-. questo quando dalgut?s fallicimentos nora aperam auer ?orregymento, posto que em tedas outras cousas se esforcern abem, e uirtuosamente uyuer, ca hu? dos arreuatarnento? da sanha per que trespassam as obraa ou pallauras quaaes nora deuem, 0utros do comer beuer sobeio, das afei?oo?s das reelheres, dos ?uejas, malqueren?as Eassy de cadahu? dos malles s? teem'per tam costrangidos que penss? seerera per sua propria natureza, tanto per obrigaqom sogeitos at?a! pecado, que per rode seu poder, nunca dei se pode ram curar, nero ?mendar, saluo se deos myraculosa- mente os.correger perao que elles mynguados de spe- ran?a, ja nora quere m trabaihar, per qu.e assy como- uencidos em suas uoontades Em sua soge?c. omse que- rein leixar jazer, dizendo que nora podera em todo seer perfeitos. Euencidos per afei?om e �raqueza, contentes da maneira desseu uyuer, teendo que nora sore dignos de perdurauel pena, nero da presente re- reprehenssom, per seerem.derribados dalgu?s grandea pecados, se dog ou. tros sentera que som?em boo esta-