Página:Phalenas.pdf/65

– 61 –

Nenhuma d'aquellas bellas
Deixou de escrever por si.

«Nem a patricia de Helena,
De verde myrtho c'roada,
Nascida como açucena
Pelos zephyros beijada,
Aos brandos raios da lua,
Á voz das nymphas do mar,
Trança loura, espadua nua,
Calma fronte e calmo olhar.

«Nem a belleza latina,
Nervosa, ardente, robusta,
Levantando a voz augusta
Pela margem peregrina,
Onde do écho em seus lamentos,
Por virtude soberana,
Repete a todos os ventos
A nota virgiliana.

«Nem a doce, aerea Ingleza,
Que os ventos frios do norte
Fizerão fria de morte
Mas divina de belleza.