Abrir menu principal

Vida e Feitos D' El-Rey Dom João Segundo/CXXXII

Vida e Feitos D' El-Rey Dom João Segundo por Garcia de Resende
De como foy ha triste morte do principe


E nestas e outras festas andaram sempre atee segunda-feyra onze dias de Julho em que el-rey e o principe se passaram a Almeirim a correr montes e tornaram no mesmo dia. E o principe depoys de recolhido a casa da princesa, ao outro dia terça-feira lá se vestio em sua casa, e com ella ouvio missa e comeo e repousou a sesta. E na mesma terça-feyra doze dias de Julho do dito anno de mil e quatrocentos e noventa e hum à tarde el-rey quis yr nadar ao Tejo como muytas vezes fazia nos verãos apartado com alguns aceytos a elle; e tinha na guarda-roupa aparelho pera ysso de bragas e ceroilas, e panos de cubrir e enxugar, que todas as cousas d' omem folgava de fazer; e mandou recado ao principe se queria yr com elle como sempre tambem hia e nadava; e elle lhe mandou dizer que se achava cansado dos montes do dia passado. E quando el-rey deceo parecendo-lhe que o principe estava mal sentido perguntou por ele aa porta da princesa, e o principe lhe veo falar aa porta assi como estava na sesta. Foy-se el-rey e do terreyro de fora oulhou pera has jenellas da princesa, e vio o principe e ella estar ambos a hũa jenella assentados, tirou-lhe o barrete e elles se levantaram e lhe fizeram grandes mesuras e el-rey abalou pera o Tejo. O principe vendo que el-rey o viera ver aa porta e depois lhe falou aa janella, per cima de lhe mandar dizer e dizer que estava cansado, pareceo-lhe bem yr com elle e vestio-se depressa e mandou por hũa mula, e vindo jaa vestido a mula nam era vinda; achou ahi hum seu ginete muito fermoso fouveyro em que entam cavalgara o seu estribeyro-moor; e por alcançar el-rey cavalgou nelle e se foy depressa com poucos que com elle eram, e foy cousa pera notar e de misterio, que sendo em tempo de tamanhas festas e tantos brocados e sedas, o principe sayo vestido com hum pelote e tabardo aberto de pano preto tofado e gibam de cetim preto, e o cavallo com huns cordões e topeteyra e nominas de seda preta que nam me lembra que outras taes visse, e hum caparação de veludo preto, que verdadeiramente a deferença do que antes vestia e entam vestio, e de como achou o cavalo ataviado foram muy craros sinaes da grande desaventura que lhe ordenada estava.

Alcançou el-rey e foy com elle atee o Tejo, e custumando de nadar sempre quando el-rey nadava entam o nam quis fazer, e começou de passear pelo campo e lançar o ginete, por ser de singular redea e muito ligeyro, e cometeo a Dom Joam de Meneses o que morreo em Azamor primeyro capitão que nelle ouve, homem de muito merecimento e muitas e boas calidades que corressem ambos hũa carreira de que se Dom Joam escusou por ser jaa noyte. Deceo-se entam o principe pera cavalgar na mula que mandara trazer, e em sobindo nella lhe quebrou o loro do estribo por onde tornou a cavalgar no cavalo e apertou entam com Dom João que todavia corressem. E Dom Joam polla muita vontade que pera isso lhe vio o fez e o tornou pola mão e correndo assi ambos a carreyra na força do correr, o cavallo do principe cayo, e o levou debayxo de si, onde logo emproviso ficou como morto, sem falla e sem sentidos. E Dom Joam vendo tamanho desastre e tam grande desaventura, como chegaram ao principe muitos senhores e fidalgos, desapareceo e se foy com muita tristeza, e esteve ãnos sem vir aa corte, atee que per especial mandado d' el-rey veo.

Tomaram logo o principe nos braços e meteran-no na primeira casa que acharam que era de hum pobre pescador ahi n' Alfange, e tanto que a triste e desaventurada nova deram a el-rey, veo logo a grande pressa. E quando achou hum soo filho que tinha que criara com tanto amor, tanto receo, tanto contentamento por ser o mais singular principe que no mundo se sabia, em que se el-rey revia e queria tam grande bem que hum soo dia nam podia estar sem o ver, nem tinha outro descanso senão sua muito estimada vista e conversaçam, ficou em tam grande estremo triste e desconsolado que se nam pode dizer nem cuidar, dizendo sobre o filho tantas lastimas e palavras de tanta dor e tristeza que o nam podia ouvir ninguem sem muytas e tristes lagrimas. Foy logo dada a lastimosa e desastrada nova aa raynha sua mãy e aa princesa sua molher; as quaes assi como a deram sayram como desatinadas a pee e em mullas alheas que acharam, e o senhor Dom Jorge filho d' el-rey com ellas; com muy pouca companhia foram como fora de seus sentidos atee chegarem aa pobre e triste casa onde o principe jazia. O qual acharam como morto que com quantas palavras d' amor, d' amargura e desconsolaçam lhe ambas disseram, a nenhũa nam acodio nem mostrou algum sentimento. De que as tristes mãy e molher ficaram tam cortadas e trespassadas com tam grandissima tristeza, que ellas sentiam a dor e dores que elle jaa nam sentia.

El-rey per cima de tanta tristeza fez logo ajuntar os fisicos todos e com muita segurança esteve com eles ordenando-lhe quantos remedios sabiam; e com estes primeiramente buscou os de Deos mandando logo por todolos moesteyros e casas virtuosas fazer devotas precições e muitas e continas devações e muito grandes prometimentos que se entam prometeram, em que entrou Dom Pedro da Silva comendador-mor d' Avis que prometeo d' ir a Jerusalem, o que logo foy e outros a outras muitas romarias. E estando todos asi esperando na misericordia de Deos que por ser queda tornaria a seu acordo, pasaram aquella noite toda em tristes lagrimas e saluços e continas orações.

Todalas pesoas nobres e a outra gente toda era ahi junta com tantas e doridas lagrimas e lamentações que mais nam poderam ser sendo o principe filho de cada hum, pedindo todos a Deos sua vida e saude como as suas propias vidas. E per todos se fez logo hũa muito grande e muy devota preciçam com toda a clerezia, reliquias, e cruzes, e todos descalços e alguns nus, andaram per todolos moesteyros e ygrejas onde todos em joelhos com muitas lagrimas e grandissimos gritos bradavam: "Senhor Deos, misericordia!", cousa que fazia tremor e espanto e grandissima tristeza.

E el-rey, a raynha e a princesa estiveram sempre com o principe atee o outro dia quarta-feyra hũa ora da noyte que el-rey foy enformado e certificado de todollos fisicos que o principe morria e acabaria logo de se finar; ha qual nova el-rey deu aa raynha e princesa que estavam pegadas com elle beijando-o e tendo-lhe as mãos, e ellas a receberam com tam grandissima dor que se nam pode escrever. El-rey chegou ao principe, e beijou-o na face e pera sempre lhe deitou sua bençam, e tomou a raynha e a princesa pollas mãos que as nam podia desapegar dele, e com ellas se sayo fora da casa; deyxou ho filho em poder do confessor e doutros fisicos d' alma, e aa porta virou el-rey atras e disse aos que na casa estavam: "Ahi vos fica o principe meu filho", sem poder dizer mays pallavra. E com ysto se levantou antre todos hum muyto grande, muyto triste e desaventurado pranto, dando todos em si muytas bofetadas, depenando muitas e muy honrradas barbas e cabellos, e as molheres desfazendo com suas unhas e mãos a fermosura de seus rostros que lhe corriam em sangue, cousa tam espantosa e triste que se nam vio nem cuydou. A este tempo chegou o duque seu tio que de Tomar acudio aa triste nova; o qual em estremo ho principe amava, porque sempre se criaram ambos em hũa mesa e hũa cama, e fazia tamanho pranto com tam grande sentimento e tristeza que com quanto elle ficava então por erdeiro destes reynos, deyxara naquela ora outra mayor socessam polla vida e saude do principe. E logo el-rey se foy dali a pee e a raynha e princesa como mortas levadas e atravessadas em mullas aas casas de Vasco Palha que sam na mesma ribeira. E acabando todos de se recolher, veo a el-rey recado e a muito mortal nova que elle jaa esperava que o principe seu filho depois da derradeira unção lhe sayra a alma do corpo.

Morreo em ydade de dezasseis ãnos e vinte dias, parecendo no corpo, na barba, no saber, siso, e sossego homem de vinte e cinco annos. Foy casado sete meses e vinte e dous dias. E sendo criado com tanto amor e prazer, tanto estado e grandeza, tanta estima e estremecimentos, e tanta gloria mundana que todos desejavam de o trazer sobre suas cabeças, o viram em hum instante debayxo dos pees dhũa besta. E o que naquelle dia, e os outros todos estava em camaras reaes armadas de ricos brocados e alcatifadas, nam teve nem lhe poderam entam achar outra camara senam hũa triste casa de hum pobre pescador; e aquele que antre os principes do mundo e os homens de todo Espanha era avido por mais gentil homem, naquella ora foy desfigurado, e sua muy grande fermosura em breve tornada em terra; e os seus tam allegres e graciosos olhos com que todos rescebiam tanto contentamento e allegria naquella ora foram quebrados e pera sempre sem vista perante el-rey seu pay, a triste rainha sua mãy, e a desconfortada princesa sua molher; e a sua doce boca de que tam doces, brandas e gostosas palavras sayão e de que muitos recebiam favor e contentamento naquelle momento ficou pera nunca mais falar; e has suas fermosas e reaes mãos de tantos cada dia beyjadas polas grandes e muitas merces que fazia, como em tam pouco espaço foram tornadas em po. E as orelhas tam acustumadas a ouvir singulares e doces musicas e praticas de prazer, como se tornaram surdas sem ouvir has grandes lastimas d' el-rey e a raynha e princesa, e os muito grandes gritos e desesperados prantos que todos por ele faziam. E hos narizes criados em tantos cheiros, tanto ambar e almizcre, tantas pastilhas, caçoilas, e pivetes, e tantas aguoas cheyrosas, estoraques, beijoins, e outros muitos perfumes, como foram acabar no cheyro das çujas redes das espinhas e escamas da casa dhum pescador. E os seus singulares cabellos que tanto ajudavam sua gentileza que foy delles, onde estam? E o que todos tinham por verdadeira esperança e paz, sossego e emparo, em hum nada foy desesperado de saude e todos desemparados delle. E aquelle excelente principe por quem tam grandes e reaes festas se fizeram que outras taes nam se viram, e que pello seu todos andavam alegres vestidos de brocados e ricas sedas, em quam breve tempo tornou os brocados em burel, e as sedas em almafega e vaso, e hos prazeres e alegrias em muito grandes e tristes prantos, nam somente em Portugal, mas ainda em toda Espanha. E a sua muyto branda e doce conversaçam tam grande conforto d' el-rey seu pay, da raynha sua mãy e da princesa sua molher, e tanta esperança dos que o serviam e conversavam em campo, foy desconversavel e pera sempre apartado da conversaçam de todos. E aquelle tam real casamento tantos annos desejado, tantas vezes cometido, com tanto gosto e prazer de toda Espanha acabado, como foy em sete meses per tam desastrado caso apartado pera sempre; e o que era verdadeyro, natural e primeyro cedro destes reynos, e o segundo de Castella, em quam poucas oras perdeo tamanhas eranças, e seu pay com tanta tristeza, nojo, desconsolaçam, erdou delle ho grande dote que com tanto prazer e alegria lhe tinha dado avia tam pouco tempo, cousas bem pera lembrarem e os reys e grandes principes terem sempre na memoria.

Oo Senhor Deos eternal, quam encomprensiveis sam teus secretos! Oo quem podesse saber teus juyzos e que pecados podia ter hũa tam angelica criatura, e de tam pouca ydade pera tam supito sem confissam nem comunhão tam desastrada morte morrer! Se dissermos que pollos do pay, sua vida foy sempre tam virtuosa, de tantas perfeições, e tam amigo de teu serviço, que era pera dar vida a muytos filhos e filhas, quanto mais a hum soo e tal como este era; se por peccados do povo nenhuns lhe sabiamos pubricos. Tu, Senhor, que o fizeste sabes a causa porquê; e porque nós sem ti nam podemos saber nada, teu nome seja pera sempre louvado.

El-rey estando muito mais anojado do que se pode dizer nem cuydar, por perda de tal filho em que perdeo toda sua consolaçam e prazer, se doya em grande maneyra e sentia sem comparaçam a grande dor e magoas da raynha e princesa, e porque a dorida e lastimosa nova do principe ja ser morto, poderia ser que sabendo-a doutrem seria risco de suas vidas, lha quis dar primeiro que ninguem. E com muyta segurança e sossego e os olhos bem enxutos das continuas lagrimas que chorava, com seu muito grande esforço e prudencia se foy primeiro a casa da princesa que achou deytada como morta no chão; e depois de a fazer alevantar com palavras de pay verdadeiro e de rey tam virtuoso lhe quis dar os confortos de que elle mais que ninguem tinha necessidade atribuindo tudo em dar graças e louvores a Nosso Senhor poys elle disso fora servido. E deixando a princesa se foy logo aa raynha e lhe deu ha mortal nova, pedindo-lhe muito pollo seu amor que ouvesse paciencia e conformasse sua vontade com a de Deos, que pois elle fora servido de lhe assi levar seu filho fosse seu nome louvado. Isto tam ynteiro e tam dissimulado por confortar a raynha, como se elle nam fora o principal na tristeza, e na door e sentimento, nem ho pay que naquella ora perdera o mais excelente filho que no mundo se sabia, e delle muyto mays amado do que nunca filho foy de pay. A raynha como muyto virtuosa que era pollo grandissimo amor que a el-rey tinha, vendo que na perda do filho nam avia ja remedio, o quis buscar pera a vida d' el-rey, de que tanto receo tinha como elle da sua. E com muita seguridade nam somente tomou os confortos d' el-rey, mas ainda como molher muy inteira o queria confortar, com seu rosto muy seguro e seus olhos muy enxutos e suas palavras muy temperadas de que el-rey ficou algum tanto alivado. E era tamanho o bem que se queriam que por confortar hum ao outro como estavam juntos nam avia ahi chorar, e como eram apartados as lagrimas e palavras de lastima eram tantas, que nam avia quem os podesse ver sem chorar muito com elles.

Foy logo o corpo do principe depois das exequias feitas concertado e metido em huũ ataude e pollo marquês de Villa Real e outros senhores e honrrados fidalgos levado con muyta dor e tristeza ao Moesteiro da Batalha; e foy sepultado na casa do capitolo junto d' el-rey Dom Afonso seu avoo onde ainda agora jaaz. El-rey por tamanha perda, tamanho nojo e sentimento se trosquiou. E elle e a raynha se vestiram de muyto baixo pano negro. E a princesa trosquiou os seus prezados cabellos e se vestio toda d' almafegua e a cabeça cuberta de negro vaso. E na corte e en todo o reyno nam ficou senhor nem pessoa principal nem homem conhecido que se nam trosquiasse. E todos foram vistidos d' argaos de burel e almafega, e muytos homens cingidos com baraços e seus gibões e pelotes abotoados com atacas de couro sem parecer fita nem seda. E a gente pobre que nam tinha com que comprar burel que valia a trezentos reis a vara, muitos tempos andou com os vestidos virados do avesso; que polo grande amor que todos tinham ao mal logrado do principe e a el-rey seu pay e à raynha sua mãy e pola muita dor e grandissima tristeza que neles viam e o caso ser de tamanha desaventura, foy a mais sentida morte, e os mayores prantos geraes na corte e por todo o reino quaes nunca forão vistos, de homens, e molheres, velhos, e moços, e meninos, que en todos avia tanto sentimento que era cousa d' espanto. E porque se nam achava tanto burel, os lavradores e gente bayxa vendiam as cubertas de suas camas a preço de panos finos, e os homens se vestiam de sacos e cubertas de bestas.

Veo logo a esta desaventura a senhora duquesa de Bragança Dona Isabel yrmã da raynha que com suas tristezas e nojos passados, e suas mui honestas e prudentes palavras trabalhava confortar a raynha e princesa a quem muito aproveitou sua vinda e conversaçam. Estiveram assi quinze dias nas casas de Vasco Palha, e dahi hũa noyte escura sem tocha nem claridade se mudaram às casas de Dona Maria de Vilhana molher que foy de Fernam Telez onde estiveram muytos dias encerrados, que por suas grandes tristezas ninguem ousava de os confortar, e logo ali forão visitados de todos os senhores e cidades do reyno. E el-rey Dom Fernando e a raynha Dona Isabel de Castella que entam estavam sobre Granada tanto que a nova souberam os mandaram visitar por Dom Anrrique Anrriquez tio d' el-rey e seu mordomo-mor, pessoa muy principal que logo ahi veo cuberto de grande luto, e todos os seus com sinais de muita tristeza; e assi os mandaram visitar todos os grandes senhores de Castela, onde em todo o reyno se tomou grande doo e se fezeram pola alma do principe muyto solenes saymentos.

El-rey foy muy requerido de todos os grandes de seu conselho e por religiosos que deixasse tamanhos ençerramentos, pola perda de sua saude e vida que delles lhe podia recrecer. O qual el-rey quis conceder, e saindo hum dia pola menhã a ouvir missa fora cuberto de muito grande doo, quando se vio sem o principe seu filho que sempre trazia junto de si, nam se pôde ter que lhe nam saissem as lagrimas, e como foy visto, levantou-se tamanho choro e pranto em todos que era piadosa e muy triste cousa pera ver; e como ysto foy ouvido em casa da raynha e princesa, começaram de novo outro tam grande, tam dorido e desconsolado pranto com tantos e tam grandes gritos que parecia que os paços se vinham a terra, e foy necessario a el-rey decer-se pera yr confortar a rainha e a princesa sem ter quem confortasse a ele.