Abrir menu principal

Vida e Feitos D' El-Rey Dom João Segundo/XLIII

Vida e Feitos D' El-Rey Dom João Segundo por Garcia de Resende
Da entrada do principe na cidade d' Evora


O principe veo de Moura dormir ao luguar da Vera Cruz, onde chegou a ele muita e muy nobre gente da corte; e ho outro dia nam passou de Portel por o recebimento, festas e banquetes que lhe o duque de Bragança ahi fez em muita perfeiçam, que o duque era muy largo e abastado em suas cousas e trazia muy honrrada casa. E ao outro dia foy ho principe dormir aa Torre dos Coelheiros, e aa terça-feira bespora da bespora do dia do Corpo de Deos foy dormir a Evora e com elle ambos os duques e muitos senhores com muita nobre gente; sayo el-rey a receber o principe com muita e honrrada gente, e os vassallos da cidade e comarca vinham ao recebimento todos armados, porque el-rey hia em duvida se prenderia logo o duque tanto que o visse ou se o deixaria pera depois, e polo grande repouso e muita segurança que nele vio o nam quis então fazer. Recebeo o principe com muito grande prazer e alegria e tanto contentamento que mais nam podia ser; e aa infanta e os duques fez tanta honrra, tanto gasalhado, como ao principe seu filho, abraçando os duques com tanto amor e mostranças de folgar com elles, que parecia que em seu coraçam nam jazia o contrairo; e com quanto hia prestes pera prender ho duque se lhe bem parecesse, quis que nam fosse então e ficasse pera depoys por ser com menos alvoroços como se fez. E ao outro dia bespora de Corpo de Deos, e assi no dia pola acostumada solenidade da festa, como pola vinda do principe cousa tam desejada d' el-rey e da raynha, ouve na cidade muytas festas e touros, e nos paços grandes serãos de danças e bailos, a que ho duque era presente sem nunca poder conhecer d' el-rey o contrairo do que lhe mostrava. O que foy causa de nam crer muitos avisos que nestes dias lhe vieram em especial do marquês seu yrmão que lhe aconselhava que se saysse e salvasse. Mas o duque confiando na segurança que via em el-rey o nam quis fazer, e tambem porque sabia que has cousas em que o podiam culpar, eram papees que elle a muy bom recado e segredo tinha em seu cofre sem presumir que podiam ser vistas como eram; parecia-lhe que todo ho mais seriam presunções de que ele muy levemente se poderia absolver e por yso nam deu credito algum ao marquês pera fazer mudança de si e porém determinava de se hir ao outro dia.