Abrir menu principal

Vida e Feitos D' El-Rey Dom João Segundo/XVII

Vida e Feitos D' El-Rey Dom João Segundo por Garcia de Resende
De como el-rey Dom Afonso sendo em França se apartou dos seus com tençam de se hir a Jerusalem, e do que nisso se pasou, e como o principe foi alçado por rey


El-rey Dom Afonso vendo como a fortuna em todos estes tempos lhe era muyto contrayra e lhe corria de rostro, e nam contente de seus trabalhos e fadigas, ainda por mayor desaventura por sua causa fora morto o duque de Borgonha seu primo, que elle muyto em estremo sentio por ser tam excellente principe e morrer com todos os seus tam cruamente; e vendo que tudo o que hum esforçado e vallente rey podia fazer elle o tinha feito em Portugal e Castella, Africa, França, e outras partes, e tudo se lhe hia a través; parecendo-lhe que ysto vinha por Deos ou seus pecados ou por sua má costelaçam, determinou de deyxar o mundo e se hir a Jerusalem meter em religiam; e com toda ha dissimulaçam que pôde ho pôs por obra.

E ahos vinte e quatro dias do mes de Setembro do anno de mil e quatrocentos e setenta e sete, hum dia ante manhaã com hum capellão, e dous moços da capella, e dous moços da camara e dous moços d' estribeira se partio muy secretamente. E do caminho mandou hum dos moços d' esporas avisado que nam dissesse por honde hia, com hũa chave de hũa sua boeta, e mandando que se abrisse como logo abriram. E acharam nella certas cartas e hũa estruçam do que mandava que fizessem, tudo escripto por sua mão. Hũa das cartas era pera el-rey de França, em que lhe encomendava muito o emparo, favor, e ajuda dos seus se lhe fosse necessario e dando-lhe conta de sua determinaçam. E outra pera o principe seu filho, em que com palavras de muita tristeza e sentimento lhe dava hũa muito triste conta de sua viajem e desconfortada tençam e das tristes causas que o a ysso moveram, encomendando-lhe muito e mandando-lhe por sua bençam que tanto que lhe a carta dessem logo se levantasse por rey; e outra carta pera todolos do reino em que lhe mandava que como a propio e verdadeiro rey lhe obedecessem. Has quaes cartas o conde de Farão a que elle na estruçam mandou que todos obedecessem e comprissem seus mandados até tornarem a Portugal, deu a Antam de Faria camareiro e guarda-roupa do principe que ao tal tempo lá era a visitar el-rey. Com as quaes Antam de Faria logo partio, e com pressa veo ao principe", que como singular, virtuoso e verdadeiro filho, com muitas lagrimas e grandes solluços as leo, e assi com muyta tristeza de todos os que presentes eram e de todo o reino.

E em comprimento de mandado d' el-rey seu pay, o principe foy alçado por rei com sua solenidade em Santarem nos alpendres de Sam Francisco, aos dez dias do mes de Novembro de mil e quatrocentos e setenta e sete ãnos, e nam com poucas lagrimas suas e dos que com elle eram. Sendo presentes o duque de Bragança e ho marquês de Montemor seu yrmão, ho arcebispo de Lisboa, ho bispo d' Evora Dom Garcia, ho bispo de Coimbra, e o bispo de Viseu, ho conde de Villa Real, o conde de Penella, ho conde de Momsanto, e outros senhores e pessoas mui principaes.