Abrir menu principal
A Divina Comédia por Dante Alighieri, traduzido por José Pedro Xavier Pinheiro
Purgatório — Canto II


Os dois Poetas se aprestam a subir o monte. Enquanto estão procurando o lugar onde a subida seja mais fácil, vêem um grupo de almas que lhes vêm ao encontro. Perguntam a elas onde seja a subida. Uma das almas se dá a conhecer a Dante. É Manfredo, rei de Nápoles e da Sicília. Ele narra como morreu, pedindo a Deus, na hora extrema. Estão juntas com ele, as almas dos que foram inimigos da Santa Igreja.

Enquanto aquela fuga repentina
Pela planície as sombras impelia
Ao monte, que a razão a amar ensina,

Ao sócio meu fiel eu me cingia:
Como sem ele houvera prosseguido?
Quem para alçar-me esforço me daria?

De remorsos parece possuído.
Ó consciência pura e sublimada,
Leve falta pesar te dá subido!

Quando atalhava a pressa, que é vedada
A quem dos atos no decoro atente,
Eu, que sentira a mente angustiada,

Tornando ao meu intento afoutamente
Os olhos à eminência levantava,
Que para o céu mais alto eleva a frente.

Nas espaldas o sol nos dardejava
Rubra luz, que o meu corpo interrompia,
Pois aos seus raios óbice formava.

Escuro ante mim só aparecia
O solo: eu, de abandono receoso,
Voltei-me ao lado onde era o sábio Guia.

Virgílio então me encara. — “Suspeitoso
Te mostras?” — diz — “Cuidavas, porventura,
Que eu não mais te acompanhe cuidadoso?

“Surge Vésper[1] lá onde a sepultura
Guarda o corpo em que sombra já fizera
Tomando-o a Brindes, Nápole o assegura.

“Se ante mim não a vês, não te devera
Dar pasmo como lá no firmamento
Se a luz a luz não tolhe e não movera.

“Para calma sentir, frio ou tormento
Dispôs-nos corpo a suma Potestade.
Como o fez? Não nos deu conhecimento.

“Fátuo é quem julga à humana faculdade
Franco o infindo caminho e sempiterno,
Por onde segue o Ente Uno em Trindade.

“Homem, vos baste o guia[2]: se ao superno
Saber alevantar-vos fosse dado,
Da Virgem ao seio não baixara o Eterno.

“Já viste porfiar sem resultado
Os que, cevar podendo seu desejo,
Em perpétua aflição o têm tornado.

“De Aristóteles falo neste ensejo,
De Platão, de outros mais.” — Baixando a fronte,
Calou; mostrava torvação e pejo.

Chegamos nós em tanto ao pé do monte
Onde era a rocha de tal modo erguida,
Que de subir capaz ninguém se conte.

A vereda mais erma e desabrida,
Que de Léria a Túrbia[3] se encaminha,
Dá, confrontada, cômoda subida.

E o Mestre, assim falando, os pés detinha:
“Quem sabe onde a este monte o passo ascende?
Como aqui sem ter asas se caminha?”

Enquanto, baixo o rosto, o Mestre entende
Na jornada, em sua mente interrogando,
E pela altura a vista se me estende,

Divisei turba a nós endireitando
Da mão destra; o seu passo era tão lento,
Que não me parecia estar andando.

— “Aos que vêm” — disse ao Mestre — “mira atento;
Por eles pode ser conselho dado,
Se o não te of’rece o próprio pensamento...” —

Olhou-me, e com semblante asserenado
— “À turba vagarosa” — tornou — “vamos,
 E a esperança te esforce, ó filho amado!” —

Passos mil para a grei nos caminhamos
E de tiro de pedra inda à distância,
Por mão destra arrojada, nos chamamos

Quando aqueles espíritos estância
Junto aos penhascos vi fazer, cerrados,
Qual transviado da incerteza em ânsia.

“Vós, eleitos ao bem, no bem finados” —
Disse Virgílio — “pela paz ditosa,
Em que sois todos, creio, esperançados,

“Dizei-me onde a montanha alta e fragosa
Subir permite, um pouco se inclinando:
Do tempo a perda ao sábio é desgostosa.” —

Como as ovelhas o redil deixando
A uma, duas, três e a cerviz tendo
Baixa as outras vão tímidas ficando;

Todas como a primeira, se movendo,
Conchegam-se-lhe ao dorso, se ela pára,
O porque, simples, quietas não sabendo:

Assim a demandar-nos se apressara
A venturosa grei, que no meneio
Traz a moléstia e o pudor na cara.

Tomada foi, porém, de tanto enleio,
Por minha sombra em vendo a luz cortada
A destra, em direção da rocha ao seio,

Que a vanguarda parou, como torvada:
Pelos mais sem detença foi seguida,
Mas sem lhes star a causa revelada.

— “A explicação previno apetecida:
Que um vivo corpo vedes confesso
E a luz do sol por este interrompida.

“Não haja em vós de maravilha excesso;
Do céu pela virtude socorrido,
Da montanha atingir quer o cabeço.” —

Disse Virgílio. — E foi-lhe respondido:
— “Voltai-vos; caminhai de nós diante.” —
E o lugar indicavam referido.

— “Sem que um momento deixes ir avante,
Quem quer que sejas, olha-me e declara”, —
Disse um deles, — “se hás visto o meu semblante.” —

Volvi-me, olhos fitando em quem falara.
Formoso e louro, tinha heróico aspeito;
Um golpe o seu sobrolho separara.

Tornei-lhe — “não” — tomado de respeito.
— “Olha!” — falou a sombra me indicando
Larga ferida no alto do seu peito.

“Vês Manfredo[4] — sorriu-se me falando —
Que neto foi da Imperatriz Constança.
A minha bela filha[5] diz, voltando,

(Mãe daqueles por quem tanta honra alcança
Aragão com Sicília) o que hás sabido,
Qual a verdade seja lhe afiança.

“Depois que foi o corpo meu ferido
De golpes dois mortais, a Deus piedoso
Alma entreguei, chorando arrependido.

“Fui de horrendos pecados criminoso,
Mas a Bondade Infinda acolhe e abraça
Quem perdão lhe suplica pesaroso.

“Se o Bispo[6] que enviou Clemente à caça
Do meu cadáver, respeitado houvesse
Esse preceito da Divina Graça,

“Do corpo meu os ossos me parece,
Que em frente à ponte, ao pé de Benevento,
Em guarda o grave acervo inda tivesse.

“Agora os banha a chuva e açouta o vento,
Do reino meu distantes, junto ao Verde,
 Onde os lançou sem luz, sem saimento.

“Mas anátema[7] tanto alma não perde
Que, quando verde a esp’rança lhe floresce,
Do eterno amor do Criador deserde.

“Por certo, em contumácia o que fenece
Contra a Igreja, ainda quando se arrependa
Na hora extrema sua, aqui padece

“Tempo, que trinta vezes compreenda
Da impenitência o espaço, se ao decreto
Preces não trazem benfazeja emenda.

“Vês, pois, que podes me tornar quieto:
Revelando à piedade de Constança
Que interdito me hás visto ainda exceto

Pelas preces de lá muito se alcança.” —

NotasEditar

  1. O cadáver de Virgílio de Brindes foi transportado para Nápoles, onde, neste momento, descia a noite [N. T.]
  2. Chega saber o que é, sem procurar a razão. [N. T.]
  3. O caminho entre estas duas aldeias da Ligúria. [N. T.]
  4. Filho do imperador Frederico II e neto da imperatriz Constança. [N. T.]
  5. Constança, esposa de Pedro III de Aragão teve dois filhos: Jaime que sucedeu ao pai em Aragão e Frederico, rei de Sicília. [N. T.]
  6. Bartolomeu Pignatelli, bispo de Cosenza, por ordem do papa Clemente IV, desenterrou o corpo de Manfredo, que era excomungado, e o mandou jogar no Rio Verde. [N. T.]
  7. Excomunhão dos papas [N. T.]